buscar
Alta Floresta - MT, 01 de dezembro de 2020. 14:07
PortuguêsInglêsEspanholItaliano

Notícia Exata

ECONOMIA

Mulheres são donas de 31% das empresas de Mato Grosso

19/11/2020 - 13:00 - Fonte: Assessoria de Imprensa Sebrae/MT – Rita Comini - Foto: Acervo pessoal

Mulheres são donas de 31% das empresas de Mato Grosso

As mulheres representam 34,3% dos donos de negócio do país e em Mato Grosso, elas são donas de 31% das empresas ativas no Estado, segundo dados de levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), baseado em dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio (Pnad) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No Dia do Empreendedorismo Feminino, comemorado em 19 de novembro, o Sebrae promove evento on-line com palestras e rodadas de conversas virtuais para discutir temas contemporâneos que envolvem as mulheres no mundo dos negócios, como: liderança, equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, inovação, maternidade, participação em redes, crenças limitantes, transformação digital, entre outros. O evento é gratuito com acesso no link: sebrae.com.br/sebraedelas2020.

A diretora Técnica do Sebrae MT, Eliane Chaves, reforça que as tendências e o grande desafio do século 21 é tornar a sociedade mais inclusiva e com uma economia muito mais dinâmica e inovadora. “Nesse dia em que comemoramos o Dia do Empreendedorismo Feminino, nós precisamos trazer à luz a presença da mulher no mercado de trabalho e no empreendedorismo”. Ela reforça que as estatísticas mostram um aumento da presença da mulher chefiando famílias e também no mercado de trabalho, mas lembra que existem muitos desafios a serem superados, culturais, como o fato de nem sempre a mulher receber o mesmo salário e não ter as condições de crescimento profissionais iguais às dos homens.

A diretora cita ainda a dupla jornada. “Além de enfrentar os desafios no seu negócio, a mulher precisa dar conta da sua função como mãe, chefe de família e cuidar de outras tarefas que são tradicionalmente e culturalmente inerentes às mulheres”.

A empresária Célia Leite, 34, que tem uma empresa de consultoria contábil, também aponta as dificuldades enfrentadas pelas donas de negócios casadas e com filhos que precisam se desdobrar ainda mais. “É um pouco mais difícil, mas mão é impossível”, constata.

Não é à toa que a pesquisa aponta que 27% das donas de negócios trabalham em casa e que 46% são chefes de domicílio - em 2015, representavam 38%.

Eliane Chaves destaca também que, apesar haver muitos avanços na ocupação e profissões antes tidas como masculinas, as mulheres, na sua grande maioria, desempenham atividades ligadas a seus talentos. “No universo dos pequenos negócios, temos a presença muito grande no segmento dos pequenos serviços, principalmente, voltados para alimentação, moda, cabeleireira, estética. Elas ocupam espaço na economia com os seus talentos e habilidades”.

As mulheres têm aptidões sócioemocionais mais desenvolvidas que os homens, o que favorece muito a inovação e aumenta a chance de competitividade e de sucesso.

Ao abrir sua empresa - Renda Café Lingerie e Feminices – Ana Carolina de França, 33, formalizou uma atividade que já desenvolvia há quatro anos, paralela ao trabalho numa agência de publicidade em Cuiabá. Ela conta que deixar o salário e todos os benefícios que recebia para empreender não foi tarefa fácil, mas precisava sair da acomodação e fazer alguma coisa para ela mesma, tocar o próprio negócio. “Se eu não fizer por mim, quem vai fazer”, constata, acrescentando: “legal é que os desafios me movem”.

Ela começou a empresa em casa e com atendimento on-line, depois passou para um showroom até abrir um ponto físico em julho de 2020, bem em meio à pandemia. Segundo ela, a crise não atrapalhou, ao contrário, até ajudou a negociar o valor do aluguel num ponto bastante concorrido.

Desde que abriu procurou tratar tudo de forma diferente. “Procuro manter o clima acolhedor com um atendimento personalizado, que inclui café, biscoito e conversa, vai além da simples venda de um produto”, descreve, acrescentando que, como consumidora, valoriza os negócios de mulheres e procura formar uma rede com outras empreendedoras.

Segundo dados da pesquisa, as mulheres donas de negócios têm maior escolaridade que os homens (16% maior) e também um nível de formalização maior que o dos homens - 31% possuem CNPJ, enquanto no grupo dos homens, apenas 29% são formalizados.

É maior a proporção das mulheres que trabalha sem sócios (84% contra 81% no caso dos homens). E quanto ao porte, os negócios conduzidos pelas mulheres são menores e é menor também a proporção de mulheres que são empregadoras. Além disso, elas têm menos empregados que os homens.

Olá, deixe seu comentário.

Você precisa estar logado para enviar comentários.
CLIQUE AQUI PARA LOGAR

SOBRE NÓS
Expediente |  Fale Conosco |  Quem Somos


NOTÍCIA EXATA
Telefone: (66) 9 8436-0806
E-mail: contato@noticiaexata.com.br
Endereço: Rua A-4, nº 412, Setor A, Centro, CEP: 78580-000, Alta Floresta - Mato Grosso

Clay José Frantz ME - CNPJ: 13.321.695/0001-55
Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.