buscar
Alta Floresta - MT, 18 de julho de 2019. 05:02hs
PortuguêsInglêsEspanholItaliano

Notícia Exata

Menu

POLÍTICA

MP pede bloqueio de R$ 77 milhões de Silval, Nininho e mais 4

26/06/2019 - 13:35hs.

MP pede bloqueio de R$ 77 milhões de Silval, Nininho e mais 4

Ministério Público Estadual (MPE) ingressou com uma ação civil pública contra o ex-governador Silval Barbosa e o deputado estadual Nininho (PSD) para bloquear R$ 77 milhões em bens por atos de improbidade administrativa envolvendo a fraude na licitação que envolveu a concessão da rodovia MT 130, no trecho de 122 quilômetros entre Rondonópolis e Primavera do Leste, região Sul do Estado.

Além de Silval e Nininho, o pedido também atinge os ex-secretários Arnaldo Alves de Souza Neto e Cinésio Nunes de Oliveira, os empresários Eloi Brunetta e Jurandir da Silva Vieira, além da empresa Morro da Mesa Concessionária S/A e Construtora Tripolo Ltda.

O pedido de bloqueio, do promotor de Justiça Célio Fúrio, seria pela acusação de enriquecimento ilícito, no valor de R$ 7 milhões "devidamente corrigidos", e mais R$ 70 milhões "em danos moraes", conforme a ação proposta no último dia 24 de junho.

De acordo com as investigações, em 2011, o deputado estadual Nininho, teria procurado o ex-governador Silval Barbosa para que o governo assinasse a concessão da rodovia e a autorização de cobrança de pedágio. Em contrapartida, o parlamentar teria pago R$ 7 milhões de propina ao ex-governador.

Essas informações constam na delação de Silval, que diz ainda que parte do valor da propina foi pago pela Construtora Tripolo, que pertence a um filho do deputado, para Jurandir da Silva Vieira. O pagamento para Jurandir foi uma maneira de dissimular a origem do dinheiro e pagar uma dívida de campanha.

Silval afirmou ainda que parte destes R$ 7 milhões serviram para o pagamento de propina a outros agentes públicos. Além disso, o montante foi utilizado para pagar dívidas com o operador financeiro Valdir Piran.

O MP ainda solicita "o compartilhamento de todas as provas existentes, quer no STF, quer na Justiça Federal, relacionadas ao caso da concessão narrada nestes autos", finaliza o pedido.

O caso também chegou a ser investigado pela Polícia Federal, porém, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) foi remetido para o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1ª). 

Atualmente, a Controladoria Geral do Estado (CGE) também tem processo administrativo aberto para responsabilização por possíveis fraudes. Ela apura se a empresa, além do pagamento de propina, atentou contra os princípios de administração, fraudou licitações e contratos e prestou serviços irregular.

Caso irregularidades sejam constatadas, a penalidade é uma multa de até 20% do faturamento bruto da empresa no exercício anterior a abertura do processo, bem como a reparação dos danos causados. 

O deputado Nininho nega ser dono da empresa e todas as acusações feitas pelo ex-governador Silval Barbosa.

 

Fonte;Pablo Rodrigo/Gazeta Digital - Foto: Reprodução

Olá, deixe seu comentário.

Você precisa estar logado para enviar comentários.
CLIQUE AQUI PARA LOGAR

SOBRE NÓS
Expediente |  Fale Conosco |  Quem Somos


NOTÍCIA EXATA
Telefone: (66) 9 9912-8992 ou (66) 9 8436-0806
E-mail: contato@noticiaexata.com.br
Endereço: Rua A-4, nº 412, Setor A, Centro, CEP: 78580-000, Alta Floresta - Mato Grosso

Clay José Frantz ME - CNPJ: 13.321.695/0001-55
Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução de matérias sem ser citada a fonte.